CÓLERA


O impulso para a criação artística não é uniforme. O impulso para a criação artística não é contínuo. Não se respeita pausa, ócio ou bem estar. Não se espera o afago da vida ou a melhor situação. O impulso para a criação artística pode vir de qualquer lugar.

Extraímos das situações nossas angústias. Extraímos dos acontecimentos nossas alegrias. Profundamente contrastantes com o mundo. ou integralmente atrelada a um poço profundo.

Cólera não seria possível sem a maldade, mas não seria possível sem a desonra de outras pessoas.

Cólera não seria possível sem a fofoca. Sem a conversinha de freguesia. Sem as carochinhas mal-intencionadas. Cólera não seria possível sem a tecnologia usada para o mal.

Cólera não seria possível sem certa voz lírica desafinada entre o discurso humano e o social.

Venci a Cólera, isso posso dizer. E como venci? Simplesmente através da arte, através desse disco.

Cada mau sentimento extraído de mim hoje é um verso. Uma melodia. Ou está na interpretação. Na agressividade do violão pego no antidoping. Na produção do disco. Na finalização da obra. Na capa que não recebe meu nome, por que da fúria eu mesmo deixei de me reconhecer. E passou, e passou.

Escute o Cólera em breve no Spotify, Deezer, iTunes, e similares.